Nossa Senhora de Lourdes

Histórico

Algumas famílias receberam os lotes de terra na chamada Peterstrasse, hoje Rua São Pedro. O início não foi fácil, mas a fé desse povo vencia todos os obstáculos. Povo trabalhador e de fé, soube passar para as futuras gerações o amor a Deus e a Igreja. Como ainda não haviam capelas, todos participavam das celebrações na matriz. Muitos são os relatos dos antepassados contando das dificuldades de ir à missa nos domingos de manhã na matriz, sempre de pés descalços e, muitas vezes, com chuva. Mas isso não era motivo de desânimo!

Décadas mais tarde, construiu-se uma capela na Rua São Pedro, hoje Igreja São Pedro. Muitas famílias de nossa comunidade ajudaram na sua edificação e lá assistiam as missas, outros continuavam participando na matriz São Luis Gonzaga.

Em 1940 é iniciada uma pequena escola no lugar que era conhecido como Alsácia e, em 1948 é fundada a Sociedade Esportiva Angelina. A primeira missa comunitária que se tem notícia aconteceu numa tarde de domingo do dia das mães em 1973, às 16 horas, conseguida pelo senhor João Botamedi. A partir desta data surgiu o desejo de se fundar nas redondezas uma capela. Foram celebradas outras missas, primeiro de dois em dois meses, depois mensalmente. João Botamedi com sua bicicleta avisava as famílias de casa em casa. O irmão Miguel, algumas professoras e outras pessoas organizavam as celebrações. Surge o grupo de jovens denominado Juvicris. A catequese iniciou-se em 1975 na Escola Alsácia com Lourdes Fantini e Armilda Fischer.

Em 26 de outubro de 1975 aparece o primeiro registro oficial da comunidade no livro tombo da Paróquia: uma festa na escola com a finalidade de comprar um terreno para construir a capela. Neste ano já havia a primeira diretoria, sendo o sr. Luiz Fantini o primeiro presidente. A festa e a rifa foram boas e com o dinheiro foi comprado o terreno onde atualmente está instalado um Posto de Gasolina.

Em 1976, devido a doação de uma imagem pelo casal Nivert e Lordes Fischer, escolhe-se Nossa Senhora de Lourdes como padroeira. Por causa da localização do terreno, em cima de uma curva, foi desfeito o negócio, e em 1977 comprou-se a já desativada olaria por 10 mil cruzeiros. Neste mesmo ano já acontece a primeira festa no rancho reformado. As missas também acontecem a partir desta data na olaria pequena e quente em dias de verão.

No início dos anos 1980 construiu-se o primeiro Salão Comunitário onde foram celebradas as missas até o dia 08 de setembro de 2000. Atualmente o salão é usado para os eventos festivos da comunidade.

Em setembro de 1981 Dom Afonso Niehues visita a comunidade. Em 1982 surge o clube de mães, graças ao padre Darci do Pime, é ele também, junto com Mário Sapelli, que formam o Clube dos Coroinhas.

Anastácia Pavesi funda em 1984 o Apostolado da Oração. Em agosto de 1986, Dom Murilo Krieger realiza a visita pastoral da capela. O padre Luís Carlos forma em 1989 o conselho das Pastorais.

Em fevereiro de 1988 um raio atinge o salão, causa um incêndio e destrói parcialmente a imagem de Nossa Senhora e o presbitério. A última missa realizada no antigo Salão Comunitário foi celebrada em 08 de setembro de 2000.

No setor vocações, além de leigos engajados, nossa comunidade deu à Igreja, duas monjas Carmelitas: Irmã ‘Chrity’ Maria da Trindade e Irmã Maria Tereza da Cruz, uma religiosa da Divina Providência: Irmã Maria Pavesi e um seminarista: Diogo Imhof.

Em 16 de junho de 1996 é lançada a pedra fundamental para a construção da nova igreja, que através de mutirões, campanhas, doações e o dízimo, foi finalizada e teve sua bênção no dia 09 de setembro de 2000. Neste meio tempo, Dom Eusébio visita pastoralmente a comunidade em 19 de junho de 1999 e o sino doado pela senhora Inês Pühler é abençoado em 09 de agosto de 2000. Logo que foi finalizada a construção da nova igreja em 09 de setembro de 2000, todas as celebrações foram realizadas lá até os dias de hoje.