(47) 3351-1258
(47) 3351-1063
 
 
JMJ 2023: em Lisboa reencontraremos a alegria do abraço fraterno

Aumentar Fonte +
Diminuir Fonte -

Rui Saraiva – Portugal

Do Panamá até Lisboa, o Papa Francisco incentiva os jovens a deixarem “ecoar” nos seus “corações o premente convite de Deus a levantar-nos”.

Na grande Jornada do Panamá de 2019 o tema da JMJ foi “Eis a serva do Senhor, faça-se em mim segundo a tua palavra”. Em Lisboa o lema é “Maria levantou-se e partiu apressadamente”.

 

Um novo começo 

 

“No troço de estrada que ainda nos falta para chegar a Lisboa, caminharemos juntos com a Virgem de Nazaré, que, imediatamente depois da Anunciação, levantou-se e partiu apressadamente para ir ajudar a prima Isabel” – escreve o Santo Padre na sua Mensagem para a XXXVII Jornada Mundial da Juventude.

Esta Jornada será assinalada localmente nas dioceses de todo o mundo no próximo Domingo de Cristo Rei, a 20 de novembro e a nível internacional, em Lisboa de 1 a 6 de agosto de 2023.

“Nestes últimos tempos tão difíceis, em que a humanidade já provada pelo trauma da pandemia, é dilacerada pelo drama da guerra, Maria reabre para todos e em particular para vós, jovens como Ela, o caminho da proximidade e do encontro. Espero e creio fortemente que a experiência que muitos de vós ireis viver em Lisboa, no mês de agosto do próximo ano, representará um novo começo para vós jovens e, convosco, para toda a humanidade” – escreve o Santo Padre.

O Papa partilha o seu sonho para a JMJ 2023 baseado no reencontro de um “abraço fraterno” que seja caminho de uma “nova fraternidade”:

“Sonho, queridos jovens, que na JMJ possais experimentar novamente a alegria do encontro com Deus e com os irmãos e as irmãs. Depois dum prolongado período de distanciamento e separação, em Lisboa – com a ajuda de Deus – reencontraremos juntos a alegria do abraço fraterno entre os povos e entre as gerações, o abraço da reconciliação e da paz, o abraço duma nova fraternidade missionária! Que o Espírito Santo acenda nos vossos corações o desejo de vos levantardes e a alegria de caminhardes todos juntos, em estilo sinodal, abandonando falsas fronteiras. O tempo de nos levantarmos é agora. Levantemo-nos apressadamente! E, como Maria, levemos Jesus dentro de nós, para O comunicar a todos. Neste belíssimo momento da vossa vida, avançai, não adieis o que o Espírito pode realizar em vós! De coração abençoo os vossos sonhos e os vossos passos” – afirma o Papa no texto agora publicado.

Levantar e partir

 

Na sua Mensagem aos jovens, Francisco recorda o ato de Maria que se levanta para visitar a sua prima Isabel. Podia ter ficado a “concentrar-se em si mesma”, “mas não!” – diz o Santo Padre.

Maria, não obstante o “inquietante anúncio do Anjo” sobre a sua própria gravidez, “não se deixa paralisar, porque dentro d’Ela está Jesus, poder de ressurreição” – escreve o Papa.

“Experimentar na própria vida a presença de Cristo ressuscitado, encontrá-Lo «vivo», é a maior alegria espiritual, uma explosão de luz que não pode deixar ninguém «parado». Imediatamente põe em movimento impelindo a levar aos outros esta notícia, a testemunhar a alegria deste encontro” – sublinha o Santo Padre.

Segundo Francisco “Maria deixou-se interpelar pela necessidade da sua prima idosa. Não se escusou, não ficou indiferente. Pensou mais nos outros do que em si mesma. E isto conferiu dinamismo e entusiasmo à sua vida”.

O Papa na sua Mensagem lança pistas de reflexão para os jovens: “Como reajo perante as necessidades que vejo ao meu redor? Busco imediatamente uma justificação para não me comprometer, ou interesso-me e torno-me disponível?

“Perante uma necessidade concreta e urgente, é preciso agir apressadamente. No mundo, quantas pessoas esperam uma visita de alguém que cuide delas! Quantos idosos, doentes, presos, refugiados precisam do nosso olhar compassivo, da nossa visita, de um irmão ou uma irmã que ultrapasse as barreiras da indiferença” – escreve o Papa.

Francisco convida os jovens para um novo tempo de encontros e experiências, acolhendo quem é diferente de nós: “Queridos jovens, é tempo de voltar a partir apressadamente para encontros concretos, para um real acolhimento de quem é diferente de nós, como acontece entre a jovem Maria e a idosa Isabel. Só assim superaremos as distâncias entre gerações, entre classes sociais, entre etnias, entre grupos e categorias de todo o género, e superaremos também as guerras” – diz o Papa.

O Papa sublinha que “os jovens são sempre a esperança duma nova unidade para a humanidade fragmentada e dividida”. Mas deixa um aviso dizendo que os jovens só serão esperança “se tiverem memória” e “se escutarem os dramas e os sonhos dos idosos”.

“A minha mensagem para vós jovens, a grande mensagem de que é portadora a Igreja é Jesus! Sim, Ele mesmo, o seu amor infinito por cada um de nós, a sua salvação e a vida nova que nos deu. E Maria é o modelo de como acolher este imenso dom na nossa vida e comunicá-lo aos outros, fazendo-nos por nossa vez portadores de Cristo, portadores do seu amor compassivo, do seu serviço generoso, à humanidade sofredora” – escreve o Santo Padre.

“A cada um e cada uma de vós renovo o meu caloroso convite a participar na grande peregrinação intercontinental dos jovens que culminará na JMJ de Lisboa em agosto do próximo ano; e recordo-vos que, no próximo 20 de novembro, Solenidade de Cristo Rei, celebraremos a Jornada Mundial da Juventude nas Igrejas particulares espalhadas pelo mundo inteiro” – convida o Papa na conclusão da sua Mensagem aos jovens.

Laudetur Iesus Christus

 
Indique a um amigo
 
CADASTRE SEU E-MAIL

E RECEBA NOVIDADES